Sunday, September 23, 2007

Um

Sobre o cascalho os passos seguem como a trilha, sem um propósito definido. Sentir as pedras basta por si. Cortante e redondo, áspero, doce. Andar não para onde, mas enquanto. Enquanto as árvores simplesmente estão. E a respiração está como não costuma ser percebida.

Caminho, pedras, árvores, respiração se estendem como um só.
São um só.

[ao som de ‘Estrela, estrela’, de e com Vitor Ramil]

::
foto: pinheiros e detalhe do templo zen budista Zu Lai, Cotia, por Ricardo Imaeda

1 comment:

Cabaret voltaire said...

Somos unos que a pausa duma caminhada de domingo nos faz perceber como tais ...