Saturday, June 17, 2006

Qualquer passo


Foi um longo caminho até aqui. A mata fechada induzia a se perder, andar em círculos. E quando a trilha se estreitava, as pedras lisas convidavam para o abismo. Quais perigos não estarão sempre em torno na hora que nos pensamos fortes? Trilhas inteiras podem ser vias de queda; todo o trabalho de construção cair como folhas.

Haverá, talvez, certa beleza nessa hora. Agora que as horas correm entre fraquezas espelhadas.

Enquanto segue o curso, enquanto dura o dia, não recolhe nenhuma cinza. De tudo o que resta, seus respiros indicam alguma vida. Ainda não terceira margem, ainda não barco de travessia.

São belas e frágeis as pontes que ergueu ao longo do caminho. Tão incertas quanto os passos como em poucos abraços ao próximo em torno do que ardia.

1 comment:

Roberto said...

Qualquer passo pode ser um passo em falso?
E qual é a verdade desse falseio?