Monday, March 28, 2011

Antes que seja cedo demais

[ao som de ‘Desperado’, de D. Henley e G. L. Frey, na voz emocionante de Judy Collins]

Não existe fim. Esse é o aprendizado depois de tantos anos, tanta experiência. O que parece terminar acaba se revelando inconcluso, incompleto. Só deixa de ser visível; está em algum outro lugar com a mesma força.

O que cansa não termina. Talvez permita algum repouso na sombra de uma alegria conquistada com muitos riscos. Ali onde se estendeu o resto de poesia, o ressaibo das palavras de bem dizer.

Ali onde começa.
E não se esquece mais.

::
foto: lago Guarapiranga, a partir da margem norte, no bairro do Socorro, zona sul de São Paulo, por R. I.

1 comment:

Pode me chamar assim... said...

Adorei! Adorei! Adorei!