Sunday, January 14, 2007

E continuar


Andar entre montanhas é andar sem passado. Uma possibilidade de tirar o peso sob os pés, desfincar raízes, caminhar na fina superfície que separa e integra a terra e o corpo. É sentir o tempo decantar em cada uma das pedras soltas. Contemplar desavisado arbustos floridos, regatos de repente. Junto à laguna serenar. Para lá parece convergir o mundo, reduzido aos elementos essenciais.

Diante da grandiosidade da paisagem a história se eclipsa. Não se movimenta mais no ritmo da urgência. Seu tempo é o presente. Apenas (e tudo) isso.

Assim o dia parece parar. Como qualquer traço de memória ou biografia. A rica vida ao redor ocupa todo o momento prolongado. Ela é a outra parte encontrada. Desconhecida, mas tão íntima. Faz cessar os passos para uma espécie de reconhecimento de campo. Deixa-se saudar em celebração silenciosa a saudade que a fará reviver.

Entre as montanhas andar.

-

foto: laguna del Morado, monumento natural El Morado, Chile – por Ricardo Imaeda

3 comments:

yuan8888 said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Anonymous said...

e ouvir o silêncio da paisagem...

beijo do rô

Roberto Noritomi said...

A visão é improvável...