Monday, July 31, 2006

Nada além

‘O ser produz o útil
Mas é o não-ser que o torna eficaz’
(Lao Tzu)


Tantas vezes se procurou e a resposta não apareceu. Quanto esforço gasto para pouco resultado. Dias e dias trabalhados na expectativa de recompensas liberadoras. Mas nada. Até a convicção se rompe, como represas mal construídas.

É quando se esquece ou se abandona que aquela sensação de verdadeiro relaxamento se espalha pelo corpo. Uma sensação de vazio, dispensa de cargas. Alguma coisa parecida com paz. Não é preciso discurso para descrevê-lo, nem conceitos para refletir sobre ele. Ou outra, justamente por escapar da rede de pensamentos é que se faz possível esse instante. Quase como aquele estado transitório entre vigília e sono. De contemplação de si mesmo (meditação), unidade com a natureza.

Esse vazio, que sempre está aí, enfim pode ser recuperado. Ele é a própria sabedoria.

3 comments:

Anonymous said...

neste momento, parece que você escreveu este texto para mim. obrigado. beijo grande do rô.

Roberto said...

e eu fico me enredando nas buscas e nada encontro... fica a pergunta: por que buscar?
Como é difícil não querer buscar...

Anaelena said...

É sempre bom lembrar que um copo vazio está cheio de ar?