Thursday, December 25, 2008

Um dia


Por muito tempo acreditou que algo mágico acontecesse naquelas datas. Algum presente esperado ou não, com poderes para transformar o curso dos dias iguais, trazer um sentido novo ou força para seguir.

Por muito tempo acreditou que algo extraordinário viria se conseguisse entrar em meditação. Algum saber, talvez apenas sentimento, diferente, misterioso, que abriria a mente e traria novos sentidos para a vida.

Passaram-se estações de aridez e ceticismo, em que qualquer possibilidade de mudança era recebida com indiferença. Mas foi assim, na distensão do desejo e da espera, que ele percebeu os dias amanhecendo com uma irreconhecível serenidade.

::
foto: Conjunto Nacional e edifício do Banco do Brasil na avenida Paulista, em São Paulo, por Ricardo Imaeda

2 comments:

Anonymous said...

Feliz por você, Ricardo. E com a esperança de que eu também chegue lá.
Beijo, que 2009 nos seja leve.
Anaelena

Pode me chamar assim... said...

Serenidade... Hoje estou sereno. Me deixei ficar por uns momentos (minutos?) a me olhar no espelho do banheiro em silêncio. Me observei sem nenhum julgamento. Me observei como se visse uma obra de arte (sem ter a pretenção de que isso me torne melhor, me refiro apenas ao modo de olhar)ou algum animal desconhecido. Mas, eu era muito conhecido de mim mesmo. Não havia nada de estranho em meu olhar. Eu me reconhecia em cada pelo de barba. E fiquei assim olhando, olhando e respirando. Em pé diante do espelho... sereno.